UM Deus, nenhuma barreira

Em nossa caminhada com Jesus Cristo, nosso Deus, passamos por muitas dificuldades. Há cerca de um ano e meio fui selecionado para uma bolsa de estudos na Coréia do Sul. Esta bolsa foi resultado de bastante estudo, dedicação e foco. No instante em que ela foi homologada, fui a Deus pedir orientação para tal empreitada, tudo foi decidido rapidamente, comprar passagens, arrumar as malas. Com todos os passos na vontade e na direção de Deus, acabei indo em Junho de 2014.

Lembro como se fosse hoje. Faziam quatro meses que eu procurava uma igreja unicista em solo coreano. Haviam muitas barreiras. Eu havia lido em alguns sites pela internet que haviam ministérios disponíveis por lá, entretanto eram extremamente longe, sendo o mais próximo em torno de 80km de distância. Mas tinham outros que não estavam na internet, mas que estavam muito, muito perto. Em Outubro de 2014, postei uma mensagem em um vídeo de um culto apostólico em Seul, mas de um canal americano.  Alguns dias depois, chegou a resposta com nome, endereço e algumas outras informações pertinentes sobre uma igreja. Ficava a menos de 4km de onde eu morava.

Era um domingo, por volta das cinco horas da tarde. Eu estava em frente de um prédio antigo, com uns quatro andares, com uma rua bem movimentada na frente, e uma rua estreita do lado. Tentei achar a entrada, até que entrei naquela rua lateral e achei uma porta bem discreta, com uma escadaria. Subi os degraus, pois de acordo com o endereço dado era no terceiro andar. Cheguei em uma porta entreaberta, ouvi vozes em coreano lá dentro. Eu não sabia até então me comunicar no idioma, e apesar de sentir uma certa barreira, entrei. Veio um rapaz me atender, e percebi que ele tinha fluência em inglês.

Samuel, o rapaz que me atendeu, e o pastor Park, anjo daquela congregação, me faziam perguntas específicas, que nada resolviam aquele problema de comunicação. Quando conversar com um coreano ou japonês, irá entender que eles querem saber ou aprender coisas muito diferente das que buscamos. Então, naquele impasse, o Espírito Santo, que é o Espírito de luz, de sabedoria, me fez falar apenas uma frase: “ONE GOD”. Falei com tanta convicção aquela frase, apontando com o dedo indicador para cima. UM DEUS. Neste exato momento, o céu se abriu. O pastor e o rapaz, antes muito desconfiados, vieram e me abraçaram, começaram a dar umas risadas de satisfação, e deram até uns pulinhos de alegria!

Eles nunca haviam recebido um crente ocidental, muito menos um crente apostólico, unicista! Creio que isto foi grande surpresa e alegria para eles. Congreguei com o pastor Park até Setembro de 2015, mês que voltei para o Brasil. Lembro daquele povo como meus irmãos amados, meus amigos. Mas a grandiosa e contundente experiência que tive foi de que, se eu não tivesse confessado que Deus é UM, de nada teria adiantado tentar explicar de onde eu vinha e qual era minha fé. Se não confessares que DEUS é UM, as barreiras jamais cairão. Os demônios, criadores de barreiras no ocidente e no oriente, também creem que há UM só Deus. E tremem.

No momento que confessei minha fé dEste Todo-Poderoso Deus, todas as barreiras estremeceram e ali sucumbiram.

Tiago 2:19

“Tu crês que há um só Deus? Fazes bem. Também os demônios o crêem e estremecem.”

Testemunho do irmão Anderson Lara

Anúncios

Em tempos de manifestações…

O Brasil passa por mudanças!

capa_brasil

Grupos de ativistas organizaram protestos em todo o país, para pedir a redução dos preços e maior qualidade dos serviços públicos prestados à população, entre outras exigências. E isto é um direito e dever do cidadão. Os evangélicos em sua grande maioria são a favor de manifestações pacíficas.

Mas infelizmente os protestos não são totalmente pacíficos. Uma minoria de vândalos e arruaceiros insistem em “mostrar as garras”.

As manifestações são válidas e merecem apoio. O vandalismo não!

A partir do momento que passa a tênue linha do respeito ao próximo já não enxergamos mais um ser humano. Qual ser humano que em sã consciência iria atacar policias armados? Qual ser humano depredaria patrimônios históricos? Que pessoa quebraria lojas, bancos, carros e ônibus?

Não consigo acreditar que um ser humano, criado por Deus, possa cometer este tipo de delito. A única explicação que encontro para isto é algum espírito que começa a agir nestas pessoas.

Concordo que o Brasil precisa de respostas e temos razão em sair as ruas clamando por mudanças. Mas, com violência perdemos a razão!

Deus não criou o homem para ser escravo, mas também não criou só para ser rei. Deve haver humildade e reconhecer quando os limites foram ultrapassados.

O Brasil está mudando e nós, Povo de Deus, devemos clamar e orar pelo nosso país e por nosso governantes.

Veja o que o Apóstolo Paulo disse em I Timóteo 2: 1-4: “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por TODOS OS HOMENS; pelos REIS e por TODOS OS QUE ESTÃO EM EMINÊNCIA, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.

Agora olha o que diz 2 Crônicas 7:14: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”

Brasil_Orar

Haitianos ganham chance no Brasil

Educados, trabalhadores, focados e disciplinados. Estes são alguns adjetivos que podem definir como são os haitianos que chegam ao Brasil em busca de uma “chance” na vida.

Haiti, localizado na América Central, é considerado o país mais pobre da América Latina causando, inclusive preocupação mundial.

Devido ao devastador terremoto que atingiu o país em 2010, onde mais de 222 mil pessoas morreram, a situação piorou fazendo milhares de haitianos saírem e tentar a sorte em outros países.

República Dominicana e Brasil são os países preferidos pelos haitianos. No Brasil, empresas buscam nos estrangeiros a mão de obra que falta país.

A entrada no Brasil é feita principalmente pelos estados do Amazonas, Acre e Rondônia, após se espalham pelo restante do país na esperança de serem recrutados por alguma empresa disposta a dar-lhes uma oportunidade.

No Rio Grande do Sul concentra-se um grande contingente de imigrantes, por terem empresas disposta a investir no potencial haitiano.

Ceide Joanel e pastor John John

Ceide Joanel e pastor John John

A Igreja Apostólica do Brasil, com matriz em Esteio, iniciou uma “força tarefa” para ajudá-los na adaptação, busca por empregos e ensinamentos.

Ceide Joanel, foi o primeiro haitiano ajudado pela igreja e diz: “Cheguei a Porto Alegre com a idéia de ajudar minha família. No inicio tudo foi complicado, estava sozinho. Mas Graças a Deus encontrei as pessoas certas que me ajudaram muito além do que eu precisava.”

Já na cidade de Bento Gonçalves, onde são mais de 800 haitianos concentrados em busca de oportunidades, a Igreja já recebeu visitas e contato de aproximadamente outros dez.

A igreja busca empresas que sejam parceiras em ajudar na qualificação, recrutamento e principalmente no sonho destes imigrantes em iniciar uma nova vida.

Grupo de Haitianos em Bento Gonçalves com o pastor John John

Grupo de Haitianos em Bento Gonçalves com o pastor John John

Queres ajudar nesta missão?

Para mais informações entre em contato através do e-mail: iabesteio@gmail.com ou ligue (51) 3473-1800

Por: Ageu da Rocha